Geotecnologias aplicadas ao mapeamento da vulnerabilidade ambiental

COMPARTILHE:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Os mapeamentos de vulnerabilidade vêm sendo desenvolvidos por meio de análise ambiental utilizando técnicas de geoprocessamento que permitem especializar riscos auxiliando no planejamento urbano e na proposição de medidas preventivas.

A concepção de vulnerabilidade não é consenso entre os estudiosos e vem sendo utilizada em diferentes contextos. De maneira geral a vulnerabilidade está associada a susceptibilidade de uma área em relação aos efeitos negativos provenientes de determinadas ações. As características do meio físico e biótico interferem na vulnerabilidade podendo tornar os sistemas mais ou menos susceptíveis a determinados tipos de impactos.

um mapeamento de vulnerabilidade deve levar em consideração dados sobre o meio físico, incluindo geologia, geomorfologia, solos, e dados decorrentes da altimetria, incluindo declividade e altimetria. Cada uma dessas variáveis tem determinado os índices de vulnerabilidade de acordo com o propósito da análise.

A aplicação das geotecnologias se apresenta como uma ferramenta de ordem geográfica destinada a mapeamentos das transformações do uso e cobertura vegetal e da fragilidade ambiental potencial, principalmente em estudos de bacias hidrográficas, servindo como um instrumento de planejamento e gestão do território.

As geotecnologias se apresentam como importante instrumento na identificação de áreas vulneráveis. Utilizando-se da união de variáveis do meio físico, para mapear áreas de fragilidade utilizando recursos de SIG e sensoriamento remoto, por meio da elaboração de um banco de dados georreferenciado, processamento e geração de uma carta final, a fim de orientar a melhor alternativa à gestão integrada da área de estudo analisada.

O uso de geotecnologias tem significativa relevância pois aponta a facilidade de acesso às ferramentas de geoprocessamento (como a constante difusão do uso do GPS, gratuidade de bons softwares de sistema de informação geográfica – SIG –, disponibilidade livre de imagens de satélite) associada a estudos de mapeamento de monitoramento de desastres naturais. Por meio do uso de SIG’s é possível analisar áreas em diferentes datas, simular futuros cenários, avaliar ambientes por multicritérios, manipular dados, entre outras situações.

Para muitos tomadores de decisão, planejadores e administradores também desconhecem a potencialidade das geotecnologias para a gestão, prevenção e mitigação de desastres naturais e eventos extremos. Na literatura diversos autores destacam a importância de um mapeamento de vulnerabilidade no diagnóstico de possíveis problemas ambientais e enfatizam que as técnicas de geoprocessamento aplicadas a estes estudos podem ser associadas ao conhecimento à exploração de práticas de controle e proteção de áreas fragilizadas.

Nossa equipe multidisciplinar da Geotrópico está capacitada para auxiliar no uso de geotecnologias aplicadas para estudos de vulnerabilidade ambiental. Entre em contato, tire suas dúvidas e solicite um orçamento.

Ver